Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Comunicação
  3. Notícias
  4. A chegada dos Frades Menores em Goiás

05/10/2021

A chegada dos Frades Menores em Goiás

A chegada dos Frades Menores em Goiás - Notícias - Arquidiocese de Goiânia

Dom Emanuel Gomes de Oliveira, arcebispo de Goiás, em maio de 1942, encaminhou um pedido formal ao núncio apostólico no Brasil manifestando seu desejo de criação de um comissariado dos frades franciscanos em sua Arquidiocese, principalmente para cuidarem pastoralmente da cidade de Anápolis. Com o parecer positivo por parte da nunciatura, Dom Emanuel começou as tratativas com os frades menores da América do Norte, da Província do Santíssimo Nome, que aceitaram o convite do arcebispo.

 

Em janeiro de 1944, todos os frades já estavam no Brasil, eram um grupo de 14, liderados pelo frei Paulo Seibert. Chegaram ao Rio de Janeiro, onde permaneceram algum tempo para aprender a nova língua, seguindo depois para Anápolis, conforme combinado. O comissário frei Paulo e frei Cipriano vieram na frente, em uma primeira visita a Dom Emanuel, chegando a Anápolis no dia 6 de janeiro do mesmo ano, para conhecer as paróquias que iriam assumir. Após essa visita, ficou definido que os frades assumiriam Anápolis, Pirenópolis, Pires do Rio e Catalão. Anápolis tornou-se a sede do Comissariado.

 

Em fevereiro, chegaram a Anápolis os frades que assumiriam o trabalho pastoral na Paróquia de Sant’Ana e, conforme previsto, assumiriam também o Ginásio Arquidiocesano e Municipal de Anápolis (GAMA). Consequentemente, os frades receberam a doação de um grande terreno em um novo bairro que nascia, o Jundiaí, local em que foi construído o novo colégio que recebeu o nome de São Francisco de Assis.

 

Uma das motivações de Dom Emanuel para trazê-los para Anápolis era a atuação e propagação do protestantismo nesta cidade. A presença e o trabalho do médico e missionário inglês Dr. James Fanstone consolidaram, em Anápolis, um projeto protestante forte e arrojado. Como a maioria dos protestantes que atuava em Anápolis havia recebido seus ensinamentos e tradição dos missionários protestantes advindos da América do Norte e Inglaterra, a presença de uma congregação religiosa que viesse dos Estados Unidos seria um contraponto estratégico para o conflito entre católicos e protestantes. Os frades norte-americanos já tinham uma maior convivência e conhecimento das ações protestantes nos Estados Unidos. Em Goiás, o protestantismo ainda estava se estruturando e não tinha a mesma força como nos Estados Unidos. Mas os frades teriam maior perspicácia e formação para fazer esse trabalho. O envio de missionários estadunidenses para Anápolis teve uma importância primordial e estratégica para que se frutificassem as ações católicas, principalmente na educação, refutando a educação protestante de matriz norte-americana.

 

Pe. Maximiliano Costa
Mestre em História