Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Comunicação
  3. Notícias
  4. Lectio Divina 2021

31/03/2021

Lectio Divina 2021

Última noite da Lectio Divina: “Na verdade, este homem era o Filho de Deus”

Lectio Divina 2021 - Notícias - Arquidiocese de Goiânia

No último sábado, 27 de março, aconteceu o encerramento da Lectio Divina 2021. Padre Luiz Henrique Brandão presidiu os seis encontros deste ano e finalizou com a reflexão do evangelho da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo Marcos 15,1-39.  “Quando o oficial do exército, que estava bem em frente dele, viu como Jesus havia expirado, disse: Na verdade, este homem era Filho de Deus” (cf. Mc 15,1-39).

 

Para começar sua reflexão, padre Luiz Henrique recordou o evangelho lido na primeira noite da Lectio Divina deste ano. No primeiro sábado foi o texto do Evangelho de São Marcos. Jesus foi ao deserto e foi tentado por Satanás. Depois Ele volta e começa a pregar o evangelho dizendo: “Convertei-vos e credes no evangelho” (cf. Mc 1,12-15), ou seja, no início do seu caminho, Jesus vive o importante momento do encontro com o tentador. “Podemos fazer uma comparação dessa tentação com a primeira tentação do homem no Paraíso. Deus havia colocado o homem no jardim, ou seja, na terra. E na terra o homem foi tentado por Satanás. O princípio dessa tentação era gerar no homem uma desconfiança em relação a Deus e ao seu projeto”, afirma o padre.

 

Ao contrário daquilo que os nossos primeiros pais fizeram, Jesus vence Satanás. No evangelho de São Lucas quando Jesus vence a tentação, Satanás se afasta até ter outro momento oportuno para tentar Jesus. O padre esclarece que fez essa menção ao evangelho de São Lucas para explicar que no momento em que Jesus está pregado na cruz acontece de novo este momento oportuno para que o demônio tente Jesus, não pessoalmente, como havia feito no deserto, mas o faz por meio daquelas pessoas que estão próximas de Cristo.

 

Se lermos com cuidado podemos perceber que o modo como as pessoas e os sumos sacerdotes zombavam de Jesus demonstra ter uma semelhança muito grande com as tentações que Jesus havia sofrido no deserto. Por exemplo, aquelas pessoas que passaram perto de Jesus dizendo: “Desce da Cruz, salva a ti mesmo!” se assemelha àquela expressão de Satanás: “Transforma essas pedras em pão!”, ou seja, usa do teu poder em favor de você mesmo. E também na segunda frase, que é a dos sumos sacerdotes: “Desce da Cruz que nós vamos crer em ti!” se assemelha às duas últimas tentações, em que Satanás diz: “Pule daqui do templo e faça com que seus anjos te peguem!”, ou seja, faça algo extraordinário que todo mundo vai acreditar em você, explica o padre.

 

O interessante dessa reflexão, segundo o padre Luiz Henrique, é que por duas vezes Satanás diz a Jesus para descer da cruz. Demonstrando para nós que a grande tentação que Satanás tentou impor a Cristo foi que não aceitasse o caminho que o Pai havia traçado para Ele. O desejo do Pai não era o sofrimento de Jesus, e sim a salvação da humanidade. O Filho veio ao mundo para salvar, e não para condenar. O desejo do Pai era a reconciliação da humanidade, que Cristo pudesse abrir de novo as portas do paraíso, portas que o homem havia fechado com o seu pecado. Mas isso só aconteceria por meio do ato de amor que Cristo fez, ao morrer na cruz, dando a sua vida por nós em obediência ao Pai e por amor a nós.

 

De acordo com o padre, a ocasião oportuna e propícia na providência divina para que Cristo manifestasse esse grande amor, reconciliando a humanidade com Deus era justamente na cruz, por isso é que se cumpre todas as escrituras no mistério da Paixão e Morte de Jesus. Padre Luiz Henrique relembra que durante os encontros da Lectio Divina insistiu para que os fiéis entendessem a necessidade da oração, da escuta da palavra de Deus e da necessidade de seguirmos Jesus, mesmo quando Ele nos chama a passar pela sua Paixão e Morte.

 

Quando queremos seguir Jesus vamos nos deparar, várias vezes, com a mesma tentação da qual Ele teve que passar, por isso temos que encontrar um modo de vencermos nossas tentações. Devemos, principalmente nessa semana, dedicar mais tempo ao silêncio, ao recolhimento, a escuta da palavra de Deus e a presença de Cristo em nossa vida para, justamente, não cairmos na tentação de abandonar o Senhor, aconselha o padre.

Como compromisso final o padre sugeriu rezar a Via-Sacra em algum dia da Semana Santa.

 

Para você que deseja assistir as reflexões na íntegra acesse a página do youtube da Arquidiocese de Goiânia.

 

Gabriela Rodrigues