Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Comunicação
  3. Notícias
  4. Por que devo me confessar?

12/01/2021

Por que devo me confessar?

Edições CNBB lança versão revisada de livreto

Por que devo me confessar? - Notícias - Arquidiocese de Goiânia

“A vida espiritual, se fortificada pelo Sacramento da Reconciliação, é capaz de dar estabilidade e força nas muitas dificuldades da vida de cada dia”. Esse é um dos ensinamentos oferecidos pelo cardeal Jorge Medina Estévez no livreto “Por que devo me confessar”, cuja segunda edição revisada foi lançada pela Edições CNBB.

 

A publicação faz parte da Coleção Perguntas da editora da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e apresenta o sentido do pecado e o significado do Sacramento da Penitência. “Essa obra é um ensaio de fácil leitura e compreensão que o autor, com o coração de Pastor, quer que as pessoas adentrem nas águas da Reconciliação, para uma vida na companhia de Deus”, indica a Edições CNBB.

 

“Este breve escrito introduz com sagacidade à beleza deste Sacramento, indicando suas modalidades de realização e, sobretudo, ajudando a dissipar aquele difundido sentimento de vergonha que se experimenta ao revelar as próprias fraquezas a um homem como nós”, indica o regente emérito da Penitenciária Apostólica, dom Gianfranco Girotti, ofm, na apresentação do livro.

 

Girotti reforça o conhecimento do cardeal Medina Estéves nas questões relacionadas à culpa e aos problemas psiquiátricos, pontuando ainda que “A falta desse Sacramento é, muitas vezes, a origem de graves desorientações mentais, com consequências significativas nos âmbitos individuais e coletivos”.

O livreto

A tradução brasileira do livro chega à segunda edição, após mais de 10 versões em língua espanhola e três em língua italiana.

 

A obra é considerada de grande benefício para os fiéis, ainda hesitantes ou pouco informados, a respeito do Sacramento da Penitência, tão importante para a vida cristã. Também é um convite ao aprofundamento do sacramento da penitência, favorecendo um novo olhar das pessoas “incertas ou desiludidas” que veem o sacramento com desconfiança, “porque não foram cuidadosamente guiadas ou instruídas na estrada que leva à intimidade com Deus”.

 

“O compromisso de descobrir cada vez mais o rosto misericordioso de Deus é nobre e fecundo, mas também fácil na companhia deste pequeno livro repleto de antiga sabedoria teológica, difundida por quem experimentou, na prática, a beleza restauradora da doutrina cristã”, afirma dom Gianfranco Girotti.

 

O autor

O cardeal Jorge Medina Estévez é chileno e entrou para o episcopado em 6 de janeiro de 1985. Sua criação como cardeal foi em 21 de fevereiro de 1998. Foi bispo nas dioceses chilenas de Rancagua e posteriormente Valparaíso. Anteriormente, foi cônego penitenciário por vinte anos na catedral de Santiago. Na cúria romana, foi prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, membro de vários Dicastérios da Cúria Romana. Em 2005, como cardeal protodiácono, foi responsável por anunciar o cardeal Joseph Ratzinger como o Papa Bento XVI.

 

CNBB