Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Comunicação
  3. Notícias
  4. Aeroporto Internacional Santa Genoveva – Goiânia

03/12/2021

Aeroporto Internacional Santa Genoveva – Goiânia

Aeroporto Internacional Santa Genoveva – Goiânia - Notícias - Arquidiocese de Goiânia

Que bom que nosso Aeroporto Santa Genoveva tenha se tornado, também, internacional. Mesmo que, neste momento, haja pouca demanda de companhias aéreas internacionais que queiram operar o transporte de cargas e voos diretos de jatos executivos, sem precisar fazer escala para a fiscalização alfandegária em outro aeroporto internacional brasileiro, poderão dirigir-se diretamente a Goiânia, além de inúmeras vantagens aos passageiros.

 

Nos voos de retorno a Goiânia, o passageiro que despachar as suas bagagens de qualquer aeroporto Internacional do mundo, desde que a cidade de Goiânia esteja incluída em seu bilhete como destino final, não mais enfrentará as longas filas de migração em Guarulhos, Galeão, Juscelino Kubitscheck, caso haja conexão nesses ou noutros aeroportos e ter de despachá-las, novamente, em voo doméstico de conexão a Goiânia.

 

Um verdadeiro “triatlo” turístico será evitado: descer as escadas com umas três bolsas e maletas, surfar na esteira para arrancar as bagagens, muitas vezes presas às outras, e correr para despachá-las a Goiânia em outra companhia doméstica. Ufa! Sem correria, a sua migração acontecerá no Aeroporto Internacional Santa Genoveva, onde as bagagens serão sujeitas à fiscalização alfandegária.Pe. César Garcia

 

Todos sabemos que o Dr. Altamiro de Moura Pacheco, ao fazer a doação da área para a construção do referido Aeroporto, apenas teria pedido que ele se chamasse Santa Genoveva, pois queria homenagear a sua homônima mãe, além, é claro, de nos ter trazido à memória a cidade exuberante e charmosa onde o pai da aviação, Alberto Santos Dumont, havia inaugurado o primeiro voo do planeta de uma aeronave, cuja Sainte Geneviève é padroeira, Paris.

 

Geneviève nasceu em Nanterre, nos arredores de Paris, em 420. Desde a sua infância existiu uma sintonia muito grande entre ela e Deus, proporcionando-lhe operar muitos milagres em vida. Antes de existir a belíssima Basílica gótica Saint-Denis, que homenageia o primeiro arcebispo de Paris, decapitado em Montmartre e que carregou a sua própria cabeça até onde foi edificada a Basílica em seu nome, Geneviève pediu que nesse lugar construísse a primeira capela em sua tumba.

 

Além de ter sido extremamente religiosa, Geneviève foi, também, uma grande lutadora. Aos 28 anos, por exemplo, impediu a invasão dos hunos, comandados por Átila, no cerco a Paris.

 

Falecida em 502, foi sepultada na igreja dos Apóstolos, São Pedro e São Paulo, que ela ajudou a construir, num monte que reiteradas vezes ela ia rezar. O rei Clóvis e sua esposa Clotilde, também, foram ali sepultados, até tornar-se mais tarde Abadia de Sainte Geneviève, com a sua canonização.

A Abadia foi saqueada pelos vikings e reconstruída em 1177. Mas somente a sua conclusão foi determinada pelo rei Louis XV, por ter sido curado de uma grave doença, em 1744, atribuída a intercessão à Santa.

 

Profanada e destruída pelos jacobinos, alguns anos após a revolução francesa, em 1793, quando os restos de Sainte Geneviève foram cremados e atirados ao Rio Sena, a Abadia deu lugar à construção do Panthéon-Sorbonne, cuja torre do campanário original ainda permanece intacta. À época, foi construído um túmulo na Igreja ao lado, Saint-Étienne-du-Mont, para guardar as relíquias de Sainte Geneviève.

 

Enfim, Goiânia e Paris têm, ao menos, resguardadas as devidas proporções, algo em comum. Estamos felizes, só falta agora nos prevenir de todas as epidemias para voarmos. Para preservar a nossa cultura, espero que ninguém venha um dia trocar o belíssimo e histórico nome, Santa Genoveva, sine qua non o nosso Aeroporto não teria sido construído naquele lugar.

 

Paris, a cidade mais bela e charmosa do planeta foi consagrada à Santa Genoveva. E, no ano de 2020, foram celebrados 1.600 anos de seu nascimento. Por ser a sua padroeira, é mister que façamos um réquiem, além da mãe de nosso querido Altamiro de Moura Pacheco, a outra Genoveva, cujo filho é um dos mais amados desta cidade, o prefeito Iris Rezende.

 

Por esses justos e históricos motivos, eu pediria publicamente ao governador Ronaldo Caiado, um dos homens que mais se esforçou para transformar o nosso Aeroporto em internacional, aos senadores e deputados federais que lutassem para que o nome Aeroporto Internacional Santa Genoveva permanecesse inalterado, mesmo que uma nova companhia venha privatizá-lo.

 

Bon voyage, mes copains!
Sainte Geneviève, priez pour nous!

Padre César Garcia