Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Comunicação
  3. Vida Cristã
  4. Vamos cantar a Quaresma?

09/04/2019

Vamos cantar a Quaresma?

O tempo de contrição e escuta atenta da Palavra de Deus deve se fazer notar no que é proclamado pelos nossos lábios

Vamos cantar a Quaresma? - Vida Cristã - Arquidiocese de Goiânia

De maneira geral, os critérios que justificam o canto e a música na liturgia são: o fundamento bíblico dos textos, o pertencimento comunitário e a sua relação com os ritos. Na liturgia, o texto tem prevalência sobre a melodia. É palavra que se faz sonoridade, ecoada desde o faça-se criador do Pai, Encarnada na pessoa do Filho-Verbo e conteúdo da fé transmitida pela tradição na unidade do Espírito. É também instrumento de oração comunitária, lembrando que a fé nos foi transmitida por outros e apenas no seio de uma comunidade de batizados pode ser levada adiante e atingir maturidade. É, enfim, parte de uma ação ritual, o que implica a sua funcionalidade: cada canto mais oportuno quanto mais estiver ligado ao sentido do rito que evidencia, ao conteúdo do mistério celebrado, às diferentes nuances do Ano Litúrgico.

 

É este o contexto ao qual somos convidados a refletir sobre o canto e a música no Tempo da Quaresma, este período de preparação para a plena celebração da Páscoa do Senhor, epicentro da nossa fé. Ao longo da Quaresma somos convidados a reaquecer o nosso coração por meio da conversão, do exame de consciência, da penitência, do Arquidiocese de Goiânia Abril de 2019 VIDA CRISTÃ 7 Foto: Internet jejum e da caridade. Para dizermos com São Paulo, é tempo de deixar de lado o homem velho e renascermos como novas criaturas transfiguradas em Cristo (cf. Ef 4). Sobre isso também nos adverte o profeta Ezequiel (36,26-28): “tirarei o vosso coração de pedra e vos darei um novo coração de carne”. Cantar a Quaresma, então, requer nos dispormos à dinâmica dos reconciliados com Cristo, comprometidos com o afastamento de nossos pecados e, por isso, aptos a nos vestirmos com as vestes alvejadas no sangue do Cordeiro (cf. Ap 22).

 

O canto da Quaresma nasce das profundezas de nossa condição humana, como diriam as palavras do compositor: “recebe este canto do chão que o céu e a terra estremece; é o lamento do povo que sofre e cada um de nós oferece”. É o canto tirado de nossas entranhas, como processo necessário para a mudança de vida e o renascimento pela Páscoa. É um canto sóbrio, como deve ser sóbria toda a Quaresma, sem brilho e sem festa e, por isso, abstendo-se do “Aleluia” e do “Glória”. A liturgia, nesse sentido, torna-se modelo de vivência da espiritualidade cristã. O tempo de contrição e escuta atenta da Palavra de Deus deve se fazer notar no que é proclamado pelos nossos lábios. Os antigos bem sabiam, ao exortarem cantan do: “pecador, agora é tempo de contrição e de temor; serve a Deus, despreza o mundo, já não seja pecador”.

 

 Pensando a esse respeito, como temos cantado a Quaresma em nossas comunidades? De que modo o conteúdo por nós celebrado resulta em conversão em nossas vidas? Em vista de contribuir com a vivência do tempo quaresmal, vale a pena observarmos as seguintes indicações:

 

– Faça a Palavra de Deus ecoar. Para isso, diminua o volume dos instrumentos e dos microfones. Lembre-se: é mais importante o conteúdo da mensagem a ser transmitida que os meios utilizados para tal. É Cristo que deve falar em seu ministério. A frase de São João é, por isso, muito bem-vinda: “é necessário que ele cresça e que eu diminua” (Jo 3,30).

 

 – Deixe reinar o silêncio. Não há música que prescinda o silêncio. Cantar é combinar sons e silêncios. Nesse sentido, especialmente ao longo da Quaresma, é bom construir um es paço de interiorização – única forma de percebermos a ação de Deus em nós. Quem não se cala não pode ouvir o que Ele tem a dizer. A inserção da Ladainha dos Santos em nosso Folheto Comunhão e Participação visa, entre outros motivos, contribuir para a construção de um ambiente de silêncio.

 

 – Evite o uso excessivo de instrumentos. Na liturgia o canto tem primazia sobre qualquer outro tipo de música. Como dissemos, é a Palavra cantada, instrumento de oração comum. Há instrumentos que definitivamente não contribuem para o enriquecimento de uma espiritualidade quaresmal.

 

 – Ouça o canto da assembleia. A assembleia tem a primazia na ação litúrgica, porque constitui o Corpo Místico de Cristo, reunido ao redor do altar sob a presidência do ministro ordenado. A ela cabe elevar os seus louvores e súplicas por meio do canto. Que nossas assembleias sejam ouvidas!

 

Equipe do Canto Litúrgico