Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Comunicação
  3. Notícias
  4. Pai Presente: Leme dos Filhos

12/08/2019

Pai Presente: Leme dos Filhos

A presença paterna na realização da família

Pai Presente: Leme dos Filhos - Notícias - Arquidiocese de Goiânia

Neste domingo, 11 de agosto, comemoramos o Dia dos Pais. Data especial, sobretudo porque celebrada no Dia do Senhor. É um momento oportuno para aproveitar com aquele que consideramos a nossa referência de vida e caminhar cristão.

 

Com o uso cada vez mais intenso dos meios de comunicação interativos, como os dispositivos móveis, as relações sociais têm se fragilizado. Os encontros de fins de semana, muitas vezes, são substituídos apenas pelo contato virtual e, com isso, perde-se o que outrora costumava ser rotineiro, como as fotografias em família, o bate-papo sem pretensões, o conhecimento da vida do outro.

 

O papa Francisco, em catequese proferida no dia 4 de fevereiro de 2015, sobre a figura do pai na família, realça que “cada família precisa do pai”, explicando que isso acontece naturalmente a partir de momentos espontâneos, no dia a dia da convivência em família. “A primeira necessidade, então, é justamente essa: que o pai seja presença na família. Que seja próximo à mulher, para partilhar tudo, alegrias e dores, cansaços e esperanças. E que seja próximo aos filhos em seu crescimento: quando brincam e quando se empenham, quando estão despreocupados e quando estão angustiados, quando se exprimem e quando ficam em silêncio, quando ousam e quando têm medo, quando dão um passo errado e quando reencontram o caminho; pai presente, sempre. Dizer presente não é o mesmo que dizer controlador! Porque os pais muito controladores anulam os filhos, não os deixam crescer”.

A presença do pai na família é indispensável em todos os aspectos, na educação e crescimento dos filhos. O pai presente é a alegria da família, homem, mulher e filhos, que juntos caminham e partilham suas conquistas e angústias, no dia a dia. Aos filhos, a presença paterna é muito importante porque é isso mesmo que eles precisam da sua referência maior, para poderem conduzir suas vidas. O pai presente é fundamental ainda porque só assim ele é capaz de dar aquilo que os filhos mais esperam dele: o amor.

 

Meu Pai Presente

Padre Adnilson Pedro Gomes também testemunha que seu pai, o Sr. Alarico Gomes Pereira, sempre esteve presente na vida dos filhos. Desde criança, eles moravam na zona rural, uma fazenda no município de Bela Vista de Goiás em que ele cresceu até os 19 anos. Como o próprio papa Francisco disse em sua catequese, foi na simplicidade do pai que Adnilson foi marcado, principalmente na fé. “Além dos momentos de orações com meu pai, lembro-me de sair com ele para arrecadar doações dos nossos vizinhos para ajudar uma família carente que havia se mudado para a região onde morávamos. Conseguimos vários donativos. Até hoje trago em minha mente a alegria dos membros daquela família quando chegamos à casa deles e começamos a descarregar o que havíamos ganhado. Hoje vejo que, na simplicidade do homem do campo, meu pai me transmitiu os maiores valores do cristianismo, a fé e as obras de caridade”.

 

Pe. Adnilson Pedro Gomes, na sua ordenação presbiteral  com o seu pai, o Sr. Alarico Gomes Pereira.

 

As irmãs Jéssica, 21 anos e Sabrina Vieira, 18 anos, que ilustram a foto de capa dessa matéria, com o seu pai Antônio Walter Vieira, dizem ser muito fácil falar do pai. Para elas, o principal ensinamento dele é o exemplo. “Ele sabe esperar, chamar atenção quando é necessário e perdoar. Sou agradecida a ele por sempre me manter no caminho de Deus”, disse Jéssica. “A maior lição é ter a certeza de que ele sempre estará do meu lado, independentemente de qualquer situação”, comentou Sabrina. “Ele gosta sempre de acompanhar nosso crescimento, está conosco nas vitórias e derrotas da vida, nos incentivando a seguir no caminho da fé”, completou.

Dayane Rodrigues com seu pai José do Carmo Rodrigues

O Dia dos Pais que celebramos hoje é um momento para pensar sobre a importância da presença do pai na família. Ser um pai presente ou ausente faz toda a diferença e traz consequências positivas ou negativas. “Minhas conquistas ele comemora como se fossem as dele”, disse a jovem Dayane Rodrigues, 27 anos, que considera o seu, um pai presente. Ela diz que o Sr. José do Carmo Rodrigues é um exemplo de generosidade e dedicação à família. “Seu jeito simples de viver me ensinou muito sobre os verdadeiros valores da vida. Ele sempre se doa por inteiro para que eu caminhe por uma estrada com menos buracos e pedregulhos”.

 

Embora tenhamos apresentado exemplos positivos, o papa Francisco nos alertou em catequese proferida no dia 28 de janeiro de 2015, sobre as graves e irreversíveis consequências da ausência paterna. “A ausência da figura paterna nas crianças e jovens produz lacunas e feridas que podem ser muito graves”. Para ilustrar, o Papa citou a carência de exemplos para os filhos, a de condução, de proximidade e de amor por parte do pai. Isso resulta em jovens sem valores, propensos a buscar ídolos que preencham seus corações. Na missão paterna de educar os filhos, o papa garante que a Igreja está próxima, “empenhada em apoiar com todas as suas forças a presença generosa dos pais nas famílias, porque eles são para as novas gerações custódios e mediadores insubstituíveis da fé na bondade, na justiça e na proteção de Deus, como São José.”

 

Fúlvio Costa