Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Comunicação
  3. Notícias
  4. Novembro Azul

19/11/2021

Novembro Azul

Mês de prevenção ao câncer de próstata

Novembro Azul - Notícias - Arquidiocese de Goiânia

Novembro é o mês mundial de combate ao câncer de próstata. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de próstata, no Brasil, é o segundo mais comum entre os homens, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Para falar sobre o assunto, entrevistamos o diretor-presidente da Sociedade Brasileira de Urologia − Seção Goiás, Dr. Paulo Eduardo Nunes Goulart.

 

O que é o câncer de próstata?

O câncer é uma doença originada das nossas próprias células. Elas têm a capacidade de se desenvolverem e de se multiplicarem em sua velocidade normal. Elas também morrem em algum momento. Ao longo da vida, algum agente cancerígeno, alguma mutação ou alguma coisa faz quebrar essa sincronia, fazendo com que as células se multipliquem de forma descoordenada. Então, as células ficam praticamente imortais, elas se multiplicam e têm a capacidade de se espalharem e invadirem outros órgãos, o que a gente chama de metástase, que é quando o câncer sai do órgão de origem e vai para outros. O câncer de próstata é mais um exemplo desse, só que a origem é a próstata e ela tem uma preferência de se espalhar pelos ossos.

 

Esse é o câncer que mais afeta os homens?

Esse é o câncer mais comum nos homens, tratando-se de órgãos internos. O câncer de próstata só perde para o câncer de pele não melanoma. Ele é um câncer extremamente comum, que acomete um em cada sete homens. No Brasil, neste ano de 2021, é previsto surgirem 65 mil novos casos; aqui, em Goiás, cerca de 2.200 novos casos. Então, é uma doença extremamente comum e a gente tem que combater fortemente.

Dr. Paulo Eduardo Nunes Goulart

Quais sintomas podem ser um alerta?

Nenhum sintoma serve de alerta para câncer de próstata. Por isso, temos que lutar para que os homens façam, anualmente, seus exames no urologista, para que identifique esse câncer em fase inicial. Apenas nessa fase inicial é possível se falar em cura. Essa cura gira em torno de 90% de chance, quando descoberta no início. O grande problema é que as pessoas deixam de fazer o diagnóstico no início, aí os sintomas surgem. Dores ósseas, às vezes sangue na urina, outras vezes dificuldade de urinar, mas nunca devemos esperar esses sintomas, porque diante dessa situação de fazer diagnóstico não precoce, a mortalidade, que deveria ser de 10%, sobe para 25%. Então, um em cada quatro homens no Brasil morre da doença.

 

Quais são os fatores de risco?

O histórico familiar é um grande fator de risco. Ser filho ou irmão de quem teve câncer de próstata é um grande fator de risco, associado à raça negra e aos obesos. Esses são os três grupos de risco. Nós pedimos para que as pessoas que se encaixam em algum desses grupos comecem a avaliação da próstata um pouco mais cedo, comecem aos 45 anos. Para a população geral, pedimos que comecem aos 50 anos, essa é a diferença. Esse é um dado importante, porque ainda é um fator de confusão. Antigamente, as pessoas começavam a fazer a avaliação da próstata aos 40 anos, hoje é aos 50 para todo mundo, e aos 45 anos para esses três grupos de risco.

 

Qual É a importância da Campanha Novembro Azul?

A importância da Campanha Novembro Azul é que podemos fazer um chamado a todos os homens para deixarem de preconceito. O pessoal tem medo de fazer o exame do toque, medo de ferir a masculinidade do homem por conta do exame que dura em torno de 5 a 10 segundos, um exame indolor e que salva vidas. Com o exame de toque e o exame de sangue (PSA), conseguimos fazer o diagnóstico precoce. O problema é que, por preconceito ou por medo de descobrir uma doença, evitam ou deixam isso para lá. Nós, homens, temos que aprender muito com as mulheres em relação ao cuidado com a saúde. Inclusive, a Sociedade Brasileira de Urologia está com slogan este ano que diz: “Saúde também é papo de homem”.

 

Os homens procuram mais assistência médica neste mês de novembro?

Com certeza, sim. Há uma busca maior feita pelos homens aos consultórios urológicos no mês de novembro, mas não deveria ser assim. Todo mês é mês de se cuidar e para cada indivíduo existe um mês mais fácil, um mês que você tem um pouco mais de tempo ou mês de férias. Então, escolha um mês e todo ano, naquele mês, cuide-se.

 

Gabriela Rodrigues