Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Comunicação
  3. Notícias
  4. O Jovem Carlo Acutis

27/08/2021

O Jovem Carlo Acutis

Carlo Acutis, o jovem beato que encontrou, na Eucaristia, o caminho para o céu

O Jovem Carlo Acutis - Notícias - Arquidiocese de Goiânia

Nesta semana, padre Fábio Vieira, responsável pela divulgação da devoção a Carlo Acutis no Brasil, atualmente sacerdote da Diocese de Corumbá, Mato Grosso do Sul, esteve na Arquidiocese de Goiânia para a Semana de Devoção ao beato, realizada pela Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no Jardim Primavera, e pela Quase-Paróquia Imaculado Coração de Maria. A Santa Missa de abertura foi presidida por ele, no dia 24 de agosto. Concelebraram os padres Vilmar Barreto e Jonisoncley Santos Carvalho. A programação vai até o dia 28 e envolve diversos momentos celebrativos e culturais.

 

O padre, que viveu um período na Itália, esteve envolvido diretamente no processo e na própria cerimônia da beatificação de Carlo Acutis, tendo vivido, inclusive, um período de tempo com os pais do jovem, antes da beatificação. Pe. Fábio, logo no início da entrevista, ressalta que é importante, antes de mais nada, entender que a santidade não é privilégio de um ou de outro, mas sim um chamado que Deus faz a todos e que Carlo acolheu em sua essência.

 

Entrevista

 

Padre, quem foi Carlo Acutis?
Carlo é de uma família italiana, nasceu em Londres, por conta do trabalho do pai, que estava lá naquele ano. Os pais eram recém-casados. Carlo nasce em Londres, mas volta à Itália com dois anos e vai viver na cidade de Milão. Cresce numa família que é católica logicamente; no Brasil, diríamos “católicos praticantes”. É Carlo que vai despertar na família o reencontro com a própria Igreja a partir da sua Primeira Comunhão, que se torna o marco referencial de sua vida. É a partir do momento que ele descobre na Eucaristia o centro da sua vida. As pessoas sempre perguntam: Carlo era um jovem normal? Sim, lógico, para ser santo tem que ser normal! Mas ele acolhe esse extraordinário na sua vida sem deixar de ser o que ele era, jovem, criança, sem deixar de fazer aquilo que é próprio do ser humano, mas potencializando tudo aquilo que o ser humano pode colocar à disposição do Reino. Assim é a criança, o adolescente Carlo, que centra na sua vida esse desejo grande pelo céu.Padre Fábio Vieira, esponsável pela divulgação da devoção a Carlo Acutis no Brasil

 

Carlo faleceu muito jovem, com apenas 15 anos? Qual é o grande ensinamento que ele deixou, especialmente para os jovens?
Das poucas vezes que o pai dele falou em público, ele nos disse assim: Carlo não era nem uma criança, nem era um jovem ambíguo. Carlo sabia o que queria; tudo o que fazia, fazia bem feito. Então, o que falta para a nossa juventude? Falta aquilo que justamente Carlo, aos 7 anos, disse: o meu projeto de vida é estar sempre com Jesus. Assim, o que falta para a nossa juventude é projeto de vida, saber o que quer da própria vida, ter foco para onde se caminha. Vemos aí uma criança e um adolescente que sabe o que quer, quer o céu, sem deixar de viver a beleza da própria vida que o cerca.

Dessa forma, o que eu diria para nossa juventude: busque ter seu projeto de vida e inclua Deus nele. Isso não quer dizer que você tem que anular quem você é. Pelo contrário, tudo aquilo que você for fazer, se o foco, a referência estiver em Deus, com certeza as outras coisas ganharão mais sentido. E Carlo fez isso com muita simplicidade. Então, eu diria isso para a juventude também.

 

Uma característica forte da vida de Carlo é a devoção à Eucaristia. O que podemos contemplar nisso?
A Eucaristia é o centro da nossa vida. Se você me perguntar o que Carlo fez de tão extraordinário para ser santo, eu diria: foi um católico de verdade. Dentro da catolicidade, o que é mais importante para nós? É o que celebramos, o que vivemos e isso encontramos essencialmente no mistério eucarístico. Ele entendeu isso aos 7 anos, porque queria ir para o céu e Carlo encontrou a forma mais rápida de ir para o céu: pela eucaristia. E isso não é novidade nenhuma, mas Carlo tornou isso público de uma forma forte, com a própria vida. Precisamos nos encantar novamente com esse mistério, pois temos esse milagre todos os dias e, muitas vezes, não valorizamos como deveríamos.

 

Temos o costume de invocar os santos para interceder por nós. Quando podemos pedir a intercessão de Carlo?
Carlo está sendo polivalente. Já recebo relatos da intercessão de Carlo para tudo, mas, sobretudo, de pessoas com câncer, que foi a sua doença – ele morreu de uma leucemia fulminante – porém os relatos que mais recebo são de mulheres que não podiam engravidar e engravidaram pela intercessão, além das pequenas graças do dia a dia, embora Carlo seja candidato a patrono da internet.

 

O que mudou no seu ministério depois da convivência com a família de Carlo?
Foi Carlo, mudou tudo. Fui até provocado a escrever um livro, chamado “Foi Carlo!”, lançado semana passada, em que eu relato um pouco do que aconteceu na minha vida depois de 2020. Eu jamais imaginava estar com a família dele, estar lá. Hoje, vejo que posso contribuir. Mesmo sendo pároco, tendo as responsabilidades da minha diocese, minha paróquia, posso sair pelo Brasil, indo ao encontro daqueles que se encantaram e que, de alguma forma, tiveram a vida de Carlo ecoada em seus corações. Teve essa mudança radical. Eu jamais imaginei que pudesse estar viajando o Brasil inteiro, falando do Carlo, levando essa mensagem de quem conviveu de perto com a família, mas, sobretudo, trazendo mais próximo das pessoas aquilo que foi o Carlo, lá da Itália, com essa ligação profunda com Brasil, porque a devoção do Carlo é do Brasil para o mundo e não da Itália para o mundo. Carlo morreu no dia 12 de outubro, Dia de Nossa Senhora Aparecida. O milagre aconteceu na Capela Nossa Senhora Aparecida e seu dia litúrgico é 12 de outubro. Então, mudou tudo e eu tento corresponder da melhor forma possível! Que nosso Beato Carlo interceda por todos.

 

 

Talita Salgado