Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Comunicação
  3. Notícias
  4. A arte que compõe as Igrejas

15/07/2021

A arte que compõe as Igrejas

“Elas tendem, por natureza, a exprimir de algum modo, nas obras saídas das mãos do homem, a infinita beleza de Deus”

A arte que compõe as Igrejas - Notícias - Arquidiocese de Goiânia

É comum em nossas igrejas a presença de iconografias e artes sacras. Em entrevista, o coordenador da Comissão de Arte Sacra, padre Antônio Donizeth do Nascimento, afirma que o “ideal é sempre pensar a partir de alguns elementos que compõem a identidade daquele templo. Por exemplo: quem é o padroeiro; essa Igreja é dedicada a qual santo ou a qual mistério. Então, a partir da estrutura do espaço se concebe a teologia que traduza a identidade daquele lugar”.

 

Na Constituição Conciliar Sacrosanctum Concilium sobre a sagrada liturgia, de dezembro de 1963, papa Paulo VI diz assim: “Entre as mais nobres atividades do espírito humano estão, de pleno direito, as belas artes, e muito especialmente a arte religiosa e o seu mais alto cimo, que é a arte sacra. Elas tendem, por natureza, a exprimir de algum modo, nas obras saídas das mãos do homem, a infinita beleza de Deus, e estarão mais orientadas para o louvor e glória de Deus se não tiverem outro fim senão o de conduzir piamente e o mais eficazmente possível, através das suas obras, o espírito do homem até Deus” (SC,122).

 

“É esta a razão por que a santa Mãe Igreja amou sempre as belas artes, formou artistas e nunca deixou de procurar o contributo delas, procurando que os objetos atinentes ao culto fossem dignos, decorosos e belos, verdadeiros sinais e símbolos do sobrenatural. A Igreja julgou-se sempre no direito de ser como que o seu árbitro, escolhendo entre as obras dos artistas as que estavam de acordo com a fé, a piedade e as orientações veneráveis da tradição e que melhor pudessem servir ao culto” (SC, 122).

 

Padre Antônio Donizeth do Nascimento explica que “Todas as igrejas podem ter os painéis, respeitando o critério arquitetônico. A imensa maioria desses elementos, desses projetos tem finalidade profundamente catequética e litúrgica. Catequética, para dizer, o que é esse lugar, quem somos e o que fazemos aqui e qual é o sentido de estarmos aqui. E litúrgica, para que aqueles elementos que compõem o ambiente nos ajudem a viver o mistério”.

 

 

Na próxima semana, vamos iniciar uma série de matérias sobre os painéis que realçam a beleza de nossas igrejas.

 

Gabriela Rodrigues