Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Comunicação
  3. Notícias
  4. “Convertei-vos e crede no Evangelho” (Mc 1,15)

17/02/2021

“Convertei-vos e crede no Evangelho” (Mc 1,15)

Eis o chamado do Senhor no Tempo Quaresmal

“Convertei-vos e crede no Evangelho” (Mc 1,15) - Notícias - Arquidiocese de Goiânia

No dia 17 de fevereiro, Quarta-feira de Cinzas, tem início o tempo quaresmal. Neste dia, na Santa Missa, o sacerdote e os ministros colocam cinzas bentas sobre as cabeças dos fiéis para lembrar a todos que somos finitos, que um dia vamos morrer, que somos pó e ao pó voltaremos (cf. Gn 3,19). Isso não significa que a vida nos será tirada um dia, mas sim que Deus a transforma para que não mais possamos perecer. As cinzas também nos recordam que precisamos nos arrepender dos pecados, para podermos gozar da vida eterna no céu. Por isso, as cinzas são sinônimo de esperança.

 

A partir desta edição, o Jornal Encontro Semanal dá início a uma série especial sobre a Quaresma. Nesta, entrevistamos o padre Adnilson Gomes, administrador paroquial da Paróquia São João Batista, em Senador Canedo, que explica sobre as orientações da Igreja para vivermos intensamente esse tempo forte de conversão. “A finalidade da Quaresma é nos preparar para a Páscoa de Nosso Senhor, que é a festa mais importante para os cristãos católicos”, disse o sacerdote. Não podemos chegar à Páscoa sem passar por uma boa Quaresma, isto é, sem vivê-la intensamente. Para que isso aconteça, a Igreja dá orientações importantes, conforme explicou o padre. “A Igreja recomenda aos fiéis que pratiquem o jejum, a esmola (caridade) e a oração. São três modos diferentes de se fazer penitência”.

 

 

Penitências Quaresmais

 

É um tempo de preparação para nos reaproximarmos de Deus. No cotidiano da vida, somos tentados a nos afastar do Senhor. Isso é fruto do pecado que está presente na realidade humana, mas Deus nos chama a assumirmos nossa vocação à santidade. Conforme o padre Adnilson, “Deus é Santo e nos criou à sua imagem e semelhança. Por meio do pecado ‘desfiguramos’ essa realidade em nós. Contudo, Ele é rico em misericórdia e nos perdoa sempre que nos arrependemos e procuramos o sacramento da Penitência. Assim, no Tempo da Quaresma é muito oportuno fazer um bom exame de consciência e confessar os pecados cometidos, para depois colher de modo mais eficaz os frutos da Festa da Páscoa que será celebrada”.

 

Neste tempo, a Palavra de Deus faz um convite mais incisivo à conversão. “É tempo de fazer uma revisão de vida a partir dos Evangelhos e dos outros textos da Sagrada Escritura. É preciso conformar a vida com aquilo que se crê e que é professado”, destacou o entrevistado.

 

 

Curiosidades sobre a Quaresma

 

Abaixo, trazemos respostas do padre Adnilson Gomes a algumas curiosidades sobre a Quaresma.

 

Quaresma - 40 dias
Esse tempo de 40 dias tem os seus fundamentos na Sagrada Escritura. Quarenta é um número sagrado que encontramos várias vezes na Bíblia. Temos os 40 dias e 40 noites de dilúvio no livro do Gênesis (7,12 e 8,6). Os 40 anos que o povo hebreu caminhou no deserto em busca da terra prometida. Moisés jejuou por 40 dias e 40 noites no Monte Sinai antes de receber as Tábuas da Lei (Ex 24,18; Ex 34,28 e Dt 9,9). O reinado de Davi e Salomão foi de 40 anos (2Sm 5,4 e 1Rs 11,42). O profeta Elias caminhou por 40 dias até chegar ao monte Horeb/Sinai para se encontrar com Deus (1Rs 19,8). O profeta Jonas disse aos habitantes de Nínive que se não se convertessem dentro de 40 dias a cidade inteira seria destruída (Jn 3,4). O tempo de purificação de uma mulher depois do parto de um filho homem era de 40 dias (Lv 12,1-5). Jesus depois de batizado foi para o deserto e jejuou por 40 dias e 40 noites antes de iniciar o seu ministério público (Mt 4,2, Mc 1,13 e Lc 4,2).

 

Cor Roxa
A cor roxa, neste tempo litúrgico, simboliza a interioridade, introspecção. Um sinal em referência ao luto da Igreja por causa dos sofrimentos de Jesus e de sua morte. É tempo de refletir sobre as dores e a Paixão de Nosso Senhor.


Quaresma é Tempo de Tristeza?
Não. O Tempo da Quaresma não é sinônimo de tristeza. Embora se faça as práticas de penitência, devemos nos lembrar do que disse Jesus aos seus discípulos a respeito do jejum: “Quando jejuardes, não fiqueis de rosto triste como os hipócritas. Eles desfiguram seu rosto para figurar aos homens que estão jejuando. Em verdade vos digo: já receberam sua recompensa. Tu, porém, quando jejuardes, perfuma tua cabeça e lava teu rosto, para que os homens não vejam que estás jejuando, mas somente teu Pai, que está em segredo. E teu Pai, que vê o que está em segredo, te retribuirá” (Mt 6,16-18).


Com base neste trecho do Evangelho podemos dizer que a Quaresma não deve ser um tempo de expressar tristeza, mas sim, tempo de se empenhar, ainda mais, na busca de uma retidão maior de vida. Esforço que deve ser feito não com um sentimento de tristeza, mas com o coração cheio de esperança. Cristo venceu a morte e nos comunicou sua vida divina para fazer de nós homens e mulheres novos.

 

Músicas na Liturgia Quaresmal
As celebrações litúrgicas, nesses dias, devem ser mais sóbrias e os instrumentos musicais e o canto devem ser executados com menos expressões festivas, reservando estas “energias” para os dias da Páscoa. É muito louvável que, no Tempo da Quaresma, os cantos e as melodias executados nas Missas estejam em sintonia com o espírito litúrgico destes dias.

 

Penitência na Quaresma
Não se faz jejum nem penitência aos domingos, ainda que eles estejam dentro da Quaresma.

 

Fúlvio Costa