Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Comunicação
  3. Notícias
  4. Medalhão é exposto pela primeira vez

13/07/2020

Medalhão é exposto pela primeira vez

Exposição marca os os 180 anos de Devoção ao Pai Eterno

Medalhão é exposto pela primeira vez - Notícias - Arquidiocese de Goiânia

Devido à atual situação de pandemia, não foi possível a realização da Romaria 2020. Mesmo assim, a novena foi realizada no Santuário-Basílica do Divino Pai Eterno​ e transmitida ​por diversos meios de comunicação. Os romeiros puderam rezar e se manter em comunhão, celebrando os 180 anos da devoção.

 

Quem assistiu à celebração da Missa de Encerramento da Novena em comemoração aos 180 anos da devoção ao Divino Pai Eterno, realizada no final da tarde do último domingo, dia 5, no Santuário-Basílica de Trindade (GO), pôde perceber algo inédito: pela primeira vez, o medalhão original, com a imagem da Santíssima Trindade coroando a Virgem Maria, ficou exposto no altar. O medalhão original, assim como a primeira imagem do Divino Pai Eterno, fica guardado no Santuário-Basílica e somente o reitor tem acesso. Encontrado pelo casal Constantino Xavier e Ana Rosa, por volta de 1840, o medalhão foi o que originou a devoção ao Divino Pai Eterno.

 

“Nunca mostramos este medalhão antes e dessa forma. Hoje, ele está aqui exposto para que nós saibamos que na pequenez, na humildade, Deus manifestou sua misericórdia. Quando eles acharam o medalhão, começaram a rezar em casa. Depois, fizeram uma palhoça, construíram uma capela e só em 1912, quando os Missionários Redentoristas já estavam por aqui é que foi construída a Igreja Matriz. Posteriormente, veio este Santuário-Basílica e, agora, estamos com o desafio de erguer o novo Santuário. Que nós possamos adorar a Deus, em seus pequenos sinais, como este medalhão. Que nós entendamos que Deus nos ama e que ele está em nossa vida. Que Maria Santíssima interceda e nos faça merecedores das bênçãos e promessas divinas”, afirmou o reitor do Santuário-Basílica do Divino Pai Eterno, Pe. Robson de Oliveira, durante sua homilia.

 

Além do medalhão exposto, ao final da Santa Missa​, ​foi concedida a Bênção da Saúde, feita do lado de fora do Santuário​. ​Nesse momento​, ​ o padre Jesus Flores traçou o sinal da cruz sobre a cidade de Trindade​, ​ com a intenção de abençoar todos os devotos do Pai Eterno.

 

Aconteceu​, ​ ainda​, ​ uma bela homenagem ao ​m​issionário ​r​edentorista Pe. Ângelo Licati, falecido em setembro de 2019.  Como um verdadeiro romeiro do Pai Eterno, ele deixou, além de saudade, um grande legado​ ​e é lembrado por todos os fiéis com muito carinho.

 

Um ano jubilar

O bispo auxiliar da Arquidiocese de Goiânia, Dom Levi Bonatto​, ​ presidiu a Missa Solene da Festa do Divino Pai Eterno, ​no domingo, dia 5, pela manhã. Concelebraram os padres Robson de Oliveira​ ​e Marcelino Ferreira, ​respectivamente, reitor e ​prefeito do Santuário​-Basílica​.

 

Dom Levi iniciou sua homilia fazendo memória dos romeiros​. ​ “Este ano, para o Divino Pai Eterno​, ​é um Ano Jubilar​...​ 180 anos de graças vindas da descoberta deste medalhão tão querido por todos nós​, ​ que somos romeiros do Pai Eterno. ​​Mas onde estão os romeiros? Em suas casas, fazendo uma peregrinação diferente, sem poder receber​, ​como todos os anos​, os benefícios dos sacramentos ​n​o Santuário. Mas sem desanimar​, ​ o romeiro volta o seu olhar para o Pai​ ​ e, mesmo reclamando​, ​ coloca no seu coração a certeza de que​, ​no ano que vem, estará aqui com milhares de pessoas aos pés do Pai Eterno.”

 

O bispo fez também uma reflexão sobre o Evangelho​. ​ “No Evangelho da missa de hoje​, ​ Jesus revela-se às pessoas simples. Tudo procede do Pai: Jesus, o revelador, dá graças ao Pai por poder ser aquele que revela. E já está previsto nos planos de Deus que Jesus esconda essas coisas dos sábios e entendidos​, ​pois eles creem que já sabem t​u​do e que o sabem melhor do que ninguém​. ​ Jesus revelará essas coisas​ ​às pessoas simples, quer dizer, aos que não são especialistas na doutrina dos doutores da lei, os que são pobres em espírito, os doentes, os que têm necessidade de médicos, os que estão malvestidos e são inferiorizados, os que são como ovelhas sem pastor.​ ​Esses pobres têm um espírito aberto, um espírito que não está completamente obstruído com mil teorias, ainda que sejam desprezados pelos sábios e entendidos. Deus escolheu-os como destinatários da sua revelação.”

 

Ao final​, ​ as pessoas que assistiram à celebração, pelos meios de comunicação, foram abençoadas com a primeira imagem feita do Pai Eterno, onde se pode ver a Santíssima Trindade coroando Nossa Senhora.