Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Arquidiocese
  3. Palavra do Arcebispo
  4. A exemplo de Jesus, nossa comunicação pode ser eficaz e transformadora

27/07/2018

A exemplo de Jesus, nossa comunicação pode ser eficaz e transformadora

A exemplo de Jesus, nossa comunicação pode ser eficaz e transformadora - Palavra do Arcebispo - Arquidiocese de Goiânia

Em termos de comunicação, também devemos nos espelhar em Jesus, nosso Mestre em tudo. Sua mensagem continuou ecoando através dos tempos e chegou até nós. E seus métodos são utilizados ainda hoje. Qual o segredo de uma comunicação assim tão eficaz? Impossível decifrar a dimensão divina do seu modo de se comunicar, como a paz que distribuía por onde andava, mas alguns aspectos da comunicação de Jesus podem ser analisados.

 

Primeiramente, suas palavras tinham sintonia total com o seu propósito maior, de divulgar o caminho para o Reino de Deus e buscar a adesão dos homens e mulheres à redenção oferecida por nosso Pai, numa vida de amor, verdade e paz.

 

Mesmo quando defendia uma conduta diferente da que era praticada por seu interlocutor, o fazia com firmeza, mas sem intenção de ferir, com mansidão, de forma que a pessoa sentia-se tocada por suas palavras e era motivada a pensar sobre o assunto e não a esbravejar. E queriam ouvi-lo novamente. Até o seguiam para conseguir isso. 

 

Em seu tempo de pregação neste mundo, Jesus soube como ninguém unir palavra e imagem, ensinamento e sinal. Ele conhecia seus públicos a fundo. Foram 30 anos de imersão total na sua realidade. Sabia como pensavam e se comportavam, e dirigia mensagens estratégicas a cada um deles.

 

Sua comunicação valorizou a dimensão corporal em nossa vida. Ele olhava as pessoas nos olhos, com tanta ternura que elas sentiam-se acolhidas, não queriam mais sair de perto dele. Jesus usava a imposição das mãos, a saliva, o toque. Ele tocou e deixou-se tocar. E mostrou o que é inclusão somente tocando aos que ninguém queria tocar.


Acho interessante uma comparação que tem sido feita, do formato e o tamanho das mensagens fundamentais de Jesus com os utilizados pelos meios de comunicação atuais. Como no twitter, ele usava menos de 140 caracteres para resumir um ensinamento. "O Filho do Homem vai ser entregue às mãos dos homens, e eles o matarão. Morto, porém, três dias depois ressuscitará (115 caracteres) e "O Reino de Deus está próximo: convertei-vos” (43 caracteres) são dois exemplos.

 

Como na linguagem audiovisual, Jesus servia-se do recurso da narrativa encenada para despertar a imaginação dos seus ouvintes e garantir que a moral da história fosse memorizada. Criou uma cena para cada aspecto do Reino de Deus que desejava comunicar, "lincando" tudo com o novo mandamento, de nos amarmos uns aos outros para permanecermos ligados a Deus.

 

Assim, como nos seriados que fazem tanto sucesso hoje, por meio das diversas tecnologias comunicacionais, Cristo repassou seus ensinamentos em episódios, por meio das parábolas. Nelas, é possível identificar o contexto, o cenário, a trama e o desfecho, que deixa sempre a expectativa sobre a próxima história e uma pergunta essencial no ar. Um convite à reflexão, que pode transformar o pensamento e mudar atitudes: "E você, se estivesse nessa situação, o que faria?