Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Arquidiocese
  3. Palavra do Arcebispo
  4. O Advento e a Imaculada

03/12/2021

O Advento e a Imaculada

O Advento e a Imaculada - Palavra do Arcebispo - Arquidiocese de Goiânia

O Tempo do Advento é um tempo mariano por excelência. Maria está presente na vida do povo cristão, em todos os dias do ano, como a mãe está na vida diária de uma família. Mas o Tempo do Advento é um tempo especialmente mariano por várias razões. Primeiro, porque neste tempo celebramos com toda a Igreja a Solenidade da Imaculada (8 de dezembro). E, além disso, porque durante o Tempo do Advento o centro é Jesus Cristo que, sendo Verdadeiro Deus, entrou na história humana, no seio da Bem-aventurada Virgem Maria, fazendo-se Verdadeiro Homem. Volver os olhos para Maria é sempre uma experiência gaudiosa, provocadora de júbilo em nossos corações. Contemplar a Virgem Maria constitui uma imediata preparação para o Natal.

 

Maria é uma mulher humilde e singela. Sua grandeza não lhe vem de títulos humanos, nem de muito esforço de sua parte, mas do quanto Deus foi bom para com ela. Escolhida para ser a mãe de Deus, a Morada do Altíssimo, veio ao mundo livre de todo o pecado. Isto a difere, sobremodo, de todos os mortais, já que viemos ao mundo como pecadores, pois o pecado original é uma realidade que pesa sobre todos nós desde quando nascemos. Contraímos este pecado, ainda que não o tenhamos cometido (CIC, 404). Nascemos em estado de pecado, até o momento em que somos consagrados como filhos de Deus pelo batismo. Maria é uma mulher desprovida de toda mácula. Maria foi redimida, mais do que nós e de maneira singular, pois sua redenção aconteceu preventivamente, antes mesmo de contrair o pecado original ou de cometer algum pecado pessoal. É, por isso mesmo, Imaculada.

 

Maria é a mulher cheia da Graça. Foi adornada por Deus com a plenitude de graça desde o princípio. Nós somos agraciados pela constante misericórdia de Deus, que nos perdoa e nos vai tornando homens novos. E, com a graça, Maria recebe as virtudes em grau superlativo e os dons do Espírito Santo, que funcionam nela de forma habitual. Tudo isso para ser Mãe de Deus e nossa mãe. Ela é “vida, doçura e esperança nossa”. Que, nestes dias do Advento, olhemos para Maria tal como a Igreja no-la apresenta: Imaculada, Virgem e Mãe, Assunta ao céu em corpo e alma.

 

Maria acompanha a Igreja desde o seu princípio, em Jerusalém, em todos os lugares do mundo, e, de modo particular, na América Latina, no Brasil e em nossa Arquidiocese. Pensemos nas inúmeras igrejas, capelas, imagens, invocações e devoções marianas presentes em nossa Arquidiocese. Hoje, celebramos – com encanto, alegria e admiração plena – a Solenidade da Sua Imaculada Conceição. Fazemos parte do coro das gerações que, ao longo dos séculos, a proclamaram Bem-aventurada. N’Ela floresce a graça original com que Deus adornou a humanidade, desde a criação do mundo.

 

Trecho da Carta Pastoral “Sínodo Arquidiocesano”, de Dom Washington Cruz. A carta pode ser lida, na íntegra,  A carta pode ser lida, na íntegra, aqui em nosso site