Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Arquidiocese
  3. Palavra do Arcebispo
  4. O Tempo Comum na liturgia e na vida da Igreja

18/01/2021

O Tempo Comum na liturgia e na vida da Igreja

O Tempo Comum na liturgia e na vida da Igreja - Palavra do Arcebispo - Arquidiocese de Goiânia

Queridos irmãos e irmãs,

 

A vida da Igreja é ordenada a partir do Ano Litúrgico. Esse, por sua vez, é dividido em tempos. Na última segunda feira, dia 11 de janeiro, demos início ao Tempo Comum. Esse tempo compreende as 33 ou 34 semanas, durante o ano, nas quais celebramos o mistério de Cristo em sua totalidade, especialmente aos domingos. Portanto, chamamos esse tempo também de Per Annum. O Tempo Comum começa na segunda-feira seguinte à celebração do batismo do Senhor e estende-se até a terça-feira anterior à Quaresma; recomeça na segunda-feira após o Pentecostes e termina antes das Vésperas do primeiro domingo do Advento.

 

Sendo a liturgia o culto santificador dos cristãos, ela contém uma rica instrução ao povo de Deus, na qual a leitura da Sagrada Escritura é extremamente importante. Por isso, o Concílio Vaticano II (Sacrosanctum Concilium 24.33.35) estabeleceu que, nesse momento, deveria haver uma leitura mais abundante e adequada da Bíblia. A leitura dos Evangelhos sinóticos, feita ao longo desse tempo, permite uma profunda educação à fé, a partir da teologia das ações de Jesus. Portanto, é necessário estarmos muito atentos a esse aspecto, para percebermos, Domingo após Domingo, a continuidade da narrativa evangélica e para despertarmos para a mensagem de todos os evangelistas na apresentação do mistério de Cristo. “Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e sempre” (Hb 13,8). Por isso, o Tempo Comum tem um papel muito importante na ação pastoral da Igreja para a condução mais autêntica dos fiéis ao encontro com Cristo e seus mistérios, que giram em torno do mistério pascal.

 

Vivamos este tempo com muito amor em nossas comunidades, para que Cristo Ressuscitado brilhe cada vez mais em nossas vidas e possamos continuar aquela mesma missão que Ele nos enviou: “fazer todos os povos tornarem-se meus discípulos, batizando-os em o nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, e ensinando-te a observar tudo o que te ordenei. Eis que estou convosco todos os dias, até ao fim do mundo” (Mt 28,19-20).

 

Dom Washington Cruz, CP
Arcebispo Metropolitano de Goiânia