Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Arquidiocese
  3. Palavra do Arcebispo
  4. São Pedro e São Paulo, rogai por nós!

29/06/2020

São Pedro e São Paulo, rogai por nós!

São Pedro e São Paulo, rogai por nós! - Palavra do Arcebispo - Arquidiocese de Goiânia

Queridos irmãos e irmãs,

 

No mês de junho, a Igreja celebra a festa dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo. Pedro, chamado Simão, era pescador da Galileia e ao ser apresentado ao Senhor Jesus por seu irmão André, recebeu de Cristo o nome Cefas, que significa “Rocha”, porque ele se tornaria a rocha sobre a qual Cristo edificaria sua Igreja. Pedro foi um seguidor ousado do Senhor e prometeu ansiosamente sua fidelidade até a morte. Em sua ousadia, ele também cometeu muitos erros. No entanto, apesar de suas fraquezas humanas, Pedro foi escolhido para pastorear o rebanho de Deus. Os Atos dos Apóstolos ilustram seu papel como cabeça visível da Igreja após a Ressurreição e Ascensão de Cristo.

 

Pedro liderou os apóstolos como o primeiro papa e assegurou que os discípulos mantivessem a verdadeira fé em Cristo. Passou seus últimos anos em Roma onde foi martirizado, provavelmente no ano de 64, e crucificado de cabeça para baixo. Ele foi enterrado na colina do Vaticano, onde hoje está a Basílica de São Pedro, que é construída sobre sua tumba.

 

São Paulo foi o apóstolo dos gentios. Suas cartas estão incluídas nos escritos do Novo Testamento e, através delas, aprendemos muito sobre sua vida e a fé da Igreja primitiva. Paulo era um fariseu que, inicialmente, perseguia a Igreja. Sua conversão ocorreu quando ele estava a caminho de Damasco, quando ouviu uma voz dizendo: “‘Saul, Saul, por que me persegues?’ Saulo perguntou: ‘Quem és tu, Senhor?’. A voz respondeu: ‘Eu sou Jesus, a quem estás perseguindo’” (At 9,4-5). Em Damasco, três dias depois, foi batizado e passou o restante de sua vida pregando o Evangelho incansavelmente no mundo conhecido naquele tempo. Por fim, Paulo foi preso e levado para Roma, onde foi decapitado no ano 67, sendo enterrado no local onde hoje está a Basílica de São Paulo Fora dos Muros.

 

Já no ano 258, há evidências de uma longa tradição de celebrar os dois santos no mesmo dia. Juntos, os dois santos são os fundadores da Sé de Roma, por meio de sua pregação, ministério e martírio lá. Em um sermão no ano 395, Santo Agostinho falou desses dois grandes Santos: “Os dois apóstolos compartilham o mesmo dia da festa, pois esses dois eram um; e mesmo sofrendo em dias diferentes, eles eram como um. Pedro foi o primeiro e Paulo o seguiu. E assim comemoramos este dia santificado para nós pelo sangue dos apóstolos. Vamos abraçar o que eles acreditavam, sua vida, seus trabalhos, seus sofrimentos, suas pregações e sua confissão de fé”.

 

Gostaria de renovar o convite feito por Santo Agostinho. Em tempos exigentes como os nossos, devemos viver e aprofundar ainda mais a fé que recebemos dos apóstolos e que nos conduz a Cristo e à união com ele. Somente assim poderemos continuar sendo como eles, sal e luz no mundo.

 

 

Dom Washington Cruz, CP
Arcebispo Metropolitano de Goiânia