Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Arquidiocese
  3. Palavra do Arcebispo
  4. Subiu aos céus e está sentado à direita do Pai

24/05/2020

Subiu aos céus e está sentado à direita do Pai

Subiu aos céus e está sentado à direita do Pai - Palavra do Arcebispo - Arquidiocese de Goiânia

Queridos irmãos e irmãs,

 

 Hoje a Igreja Católica celebra a Solenidade da Ascensão de Nosso Senhor Jesus Cristo, que acontece 40 dias após sua ressurreição no domingo de Páscoa. Hoje, a Igreja também celebra o Dia Mundial das Comunicações Sociais. Poderíamos nos perguntar: por que Jesus deixou seus discípulos 40 dias após sua ressurreição? Quarenta é um número significativo nas Escrituras. Se lermos o Antigo Testamento, veremos que Moisés subiu a montanha para estar com Deus por 40 dias em oração e jejum. Elias jejuou por 40 dias enquanto viajava no deserto para o monte de Deus, o Horeb. Após sua ressurreição, Jesus apareceu, por 40 dias, inúmeras vezes aos seus discípulos para assegurar-lhes que realmente havia ressuscitado e prepará-los para a tarefa de continuar a obra que ele iniciou durante seu ministério terrestre.

 

Depois desse tempo, o glorificado e ressuscitado, o Senhor e Salvador, subiu aos céus e está sentado à direita do Pai, como recitamos no Credo. Ele prometeu enviar aos discípulos o Espírito Santo que os ungiria com poder, assim como Jesus foi ungido para seu ministério no rio Jordão. A Ascensão de Nosso Senhor ao céu é a prova final para os discípulos de que Jesus vem do céu como lhes havia dito e está voltando para sentar-se à direita do Pai. Portanto, não havia razão para lamentar sua partida física de volta ao céu, pelo contrário, os discípulos voltaram para Jerusalém alegres porque, com Cristo, a natureza humana foi elevada à mais alta dignidade e do céu ele enviaria o Paráclito.

 

A Ascensão de Nosso Senhor ao céu foi um fim e um começo para seus discípulos e para a Igreja Católica por ele fundada. Embora fosse o fim da presença física de Jesus com seus amados discípulos neste mundo, também marcou o início da presença de Jesus com eles de uma nova maneira, a principal delas na Santíssima Eucaristia. O início desta presença de um novo modo coincide com o envio dos discípulos que, agora, fazem as vezes do Mestre na missão de anunciar o Evangelho.

 

No contexto desse envio dos discípulos e do mandato de comunicar a Palavra de Deus, também neste dia a Igreja celebra o Dia Mundial das Comunicações Sociais. Essa comemoração foi instituída pelo papa São Paulo VI e comemorada pela primeira vez em 7 de maio de 1967. Em preparação para este dia, o papa Francisco escreve uma mensagem, assinada no dia 24 de janeiro, data da memória litúrgica de São Francisco de Sales, que é o padroeiro dos escritores, para permitir que as Conferências dos Bispos e as Dioceses se preparem para essa celebração.

 

O contexto da Solenidade da Ascenção do Senhor e do Dia Mundial das Comunicações Sociais é para nós ocasião de renovarmos nosso compromisso com o anúncio do Evangelho. Por isso, gostaria de exortar cada um a assumir essa importante tarefa, confiada a todos os discípulos de Jesus, sobretudo nos ambientes em que vivemos: em nossas famílias, na escola, na universidade, no trabalho. É lá onde nos encontramos pessoalmente com cada irmão que temos a melhor possibilidade de fazer o feliz anúncio da pessoa de Jesus e cooperar para que todos possam se encontrar com ele e descobrir nele o caminho da salvação e da felicidade em Deus.

 

Dom Washington Cruz, CP
Arcebispo Metropolitano de Goiânia