Onde voce deseja procurar?

  • Arquidiocese
  • Paróquias
  • Clero
  • Pastoral
  • Liturgia
  • Cursos
  • Comunicação

Você está em:

  1. Home
  2. Arquidiocese
  3. Palavra do Arcebispo
  4. Somos uma comunidade de discípulos missionários

05/07/2019

Somos uma comunidade de discípulos missionários

Somos uma comunidade de discípulos missionários - Palavra do Arcebispo - Arquidiocese de Goiânia

O Evangelho do 14º Domingo do Tempo Comum, que vamos escutar na liturgia da Palavra, refere-se ao envio dos 72 discípulos. Aqueles que tinham seguido Jesus e ouvido a Sua Palavra e, portanto, viviam como discípulos, agora eram enviados em missão. Ser um discípulo enviado em missão é uma realidade que diz respeito a todos os batizados.

 

A novidade de vida experimentada pelo homem no batismo, que desde seu nascimento natural já é uma criatura de Deus, é que este sacramento o torna um filho de Deus, participante da Sua natureza divina (cf. 2Pd 1,4). No batismo ele recebe o Espírito do Filho, o espírito de adoção (cf. Rm 8,15), que clama “Abbá, ó Pai” (Gl 4,6), que o faz filho no Filho de Deus.

 

Essa incorporação em Jesus pelo batismo faz com que o fiel seja configurado a Cristo (cf. Rm 8,29), passe a ser um membro Seu, como o ramo enxertado na videira (cf. Jo 15,1-8), e se torne coerdeiro com Ele (cf. Rm 8,17). Em uma palavra, o cristão passa a ser chamado, desde o seu batismo, a viver a vida de Cristo.

 

Como Cristo é o primeiro e maior evangelizador enviado por Deus (cf. Lc 4,44), o enviado do Pai (cf. Mc 1,35-39); então, o batismo, que configura o cristão a Ele, faz com que o fiel também seja vocacionado, desde a recepção da graça batismal, a ser um missionário, enviado ao mundo para ser sinal da vida de Cristo e para anunciar essa vida como a plenitude para o homem. Ungido pelo Espírito Santo, de quem o cristão se torna templo pelo batismo (cf. 1Cor 6,19), o fiel é enviado à missão para ser sinal transparente do próprio Cristo e um instrumento de Sua ação salvífica.

 

Ao mesmo tempo em que, pelo batismo, o cristão é enxertado em Cristo e passa a ser membro do Seu Corpo, ele é também incorporado à Igreja, que é o Corpo místico de Cristo (cf. Cl 1,24; Ef 4,1-32; 1Cor 12,13). Assim, ele se torna pedra viva para a construção do edifício espiritual da comunidade de fé dos que creem em Jesus (cf. 1Pd 2,5). Convocada pelo Pai, que quer levar a cabo Seu desígnio salvífico universal, e santificada pelo Espírito Santo, a Igreja é sacramento de Jesus e Seu Corpo e, portanto, recebe Dele a missão de anunciar e instaurar em todas as gentes o Reino de Cristo e de Deus.

 

Seguindo o seu Divino Fundador e manifestando o Seu desígnio de amor e salvação pela humanidade, ela é peregrina e missionária por natureza, porque toma sua origem da missão do Filho e do Espírito Santo, segundo o desígnio do Pai. Por isso, cada membro desse Corpo, feito filho de Deus pela regeneração batismal, está convocado a professar, diante de todos, a fé que recebeu de Deus, por meio da Igreja, e a participar da atividade apostólica e missionária do povo de Deus, que é o Corpo Místico de Seu Filho.

 

Assumamos, portanto, nossa missão de anunciar Jesus ao mundo e testemunhá-Lo com nossa vida, como aqueles discípulos que o Senhor enviou. Em família, no trabalho, na Igreja, sejamos um sinal visível do amor do Pai manifestado em Cristo, a fim de que o mundo creia.

 

Dom Washington Cruz, CP
Arcebispo Metropolitano de Goiânia